quarta-feira, 7 de março de 2012

"O universo equestre é tendência no inverno 2013 de Paris"

São vários os caminhos pelos quais segue a moda apresentada durante a semana de moda de Paris, que chega ao fim nesta terça-feira (07.03). Um dos mais fortes está no universo equestre, que serviu de inspiração para coleções importantes e já se firmou como uma das grandes tendências da temporada internacional do inverno 2013.

Ao som de cavalos galopando, a Givenchy colocou na passarela uma sequência de looks dark com modelagem de roupas de montaria, com peças menos ou mais literais – para tanto, Riccardo Tisci, o diretor criativo da maison francesa, criou calças johdpur usadas com paletós, botas de cano alto e brincos dourados em tamanho máxi, que remetiam às viseiras usadas em cabrestos de cavalos.

Em sua nova ride na direção criativa da Hermès, Christophe Lemaire trouxe frescor à tradição equestre da grife francesa. Fez isso ao apresentar ponchos de couro de pônei e lã, que apareceu trabalhada em aspecto rústico, sobrepondo calças tipo bombacha, bem guardadas dentro de botas. Entre as estampas, que levavam uma pitada étnica com referências ao cashmere, detalhe de pequenos jóqueis em prints coloridos.

Para a nova coleção de John Galliano, o estilista Bill Gaytten olhou para as roupas de equitação. Mas, em se tratando da grife, as roupas trouxeram também um ares fetichistas e referências históricas. Luvas largas de cores diversas e calças mais volumosas nos quadris e ajustadas na canela deram o tom da cavalgada invernal.

O brasileiro Pedro Lourenço montou uma cavalaria moderna. Dando continuidade ao trabalho com estamparia de landscapes apresentado em seu pre-fall em São Paulo, criou uma série de vestidos assimétricos cobertos por imagens de cavalo em aspecto de frame de vídeo, inspiradas pelo trabalho do artista audiovisual russo Kon Trubkovich.

Para sua última (e aclamada) coleção à frente da Yves Saint Laurent, o estilista Stefano Pilati entregou uma moda que remetia ao universo da equitação através da disciplina e rigidez marcial com a qual trabalhou as peças, feitas em materiais hit na estação, como o couro. Acompanhados por luvas e botas longas, os looks traduziam a elegância das roupas de montaria bem adaptadas ao estilo da grife, uma obsessão de seu criador, o próprio YSL.

Mais country, porém ainda de olho no tema equestre, Isabel Marant passou os últimos meses folheando o livro Cowgirls, que reúne o material iconográfico de mulheres que trabalhavam nas fazendas em outros tempos, misturando calças jeans pesadas com babados e rendas delicadas nos looks du jour. Daí, saiu uma coleção onde o volume do rock’n'roll foi um tantinho diminuído, para que o country falasse mais alto com camisas de detalhes bordados e franjados, além de calças skinny de camurça com amarrações nas laterais. Em uma aposta mais light na tendência, as botas de cano curto serviram de bom acompanhamento.