terça-feira, 27 de dezembro de 2011

"Livros de Moda"

Eu nunca escondi o quanto sou apaixonada por Chanel, mas não por suas roupas, sim pela sua história e tudo que conseguiram no mundo da moda. Já pesquisei bastante sobre Coco antes da Chanel, sua trajetória, e até sabia do seu envolvimento com nazistas e etc. Porém, nunca li um livro tão TÃO igual esse, sem contar que em uma parte de sua biografia, ela meio que "some de cena", esse livro, conta o que ela fez nesse período. Para quem gosta de história da moda, e história da Mademoiselle fica minha dica. Vou deixar a sinopse do livro. Enjoy!

Dormindo com o Inimigo

A Guerra Secreta de Coco Chanel


O legado deixado por Coco Chanel para a moda, o estilo e o comportamento feminino é inegável e amplamente reconhecido. Mas há uma página muito pouco comentada (e mesmo conhecida) da história desta grande dama da haute couture: sua colaboração com o governo nazista durante a ocupação alemã de Paris. Criadora radical, Gabrielle "Coco" Chanel trouxe as linhas retas e o preto e branco, além do conceito de conforto até o início do século XX, monopólio da indumentária masculina, para a costura feminina, e com isso aposentou de vez o espartilho e definiu uma nova silhueta para a mulher moderna.

Mas sua história não se restringe à criação de produtos tão célebres quanto lendários, como a mítica fragrância Nº- 5 e o "pretinho básico". Neste livro, vem a público o envolvimento de Coco com a alta inteligência nazista durante a ocupação alemã em Paris, entre 1941 e 1944. Pouco conhecida do público e apenas insinuada por alguns de seus biógrafos, essa faceta da vida de Chanel é o tema central desta biografia, apoiada em extensa pesquisa documental e raro material fotográfico.

Seguindo a pista do caso público de Chanel com Hans Günther von Dincklage, tido por antigos jornalistas e pesquisadores como nada além de um diplomata playboy, mas na verdade um agente da Gestapo, o jornalista Hal Vaughan revela as motivações que fizeram da maior estilista francesa de todos os tempos uma colaboradora oficial da Alemanha hitlerista. Vaughan descreve a infância humilde de Coco em um abrigo para crianças pobres nos últimos anos do século XIX, passa à reconstituição do fenomenal crescimento da maison nos anos 1920, quando a Chanel já empregava mais de 2 mil costureiras e contava com a fidelidade de clientes célebres, e finalmente centra fogo no período em que Coco se afastou da vida pública e viveu em uma suíte do Hotel Ritz com Dincklage, conhecido como Spatz ("pardal", em alemão).

Ilumina, enfim, os anos que vão do começo da Segunda Guerra até por volta de 1954, que até então seguiam envoltos em mistério. Amiga de figuras-chave do período, como Winston Churchill, Eduardo, príncipe de Gales, o duque de Westminster e o grão-duque Dimitri Romanov, a estilista estava em posição privilegiada para cumprir com desenvoltura a missão dada a ela pela inteligência alemã: articular uma secretíssima trégua junto aos ingleses.