quinta-feira, 24 de março de 2011

"Chanel"

Karl Lagerfeld gosta de imaginar catástrofes naturais quando cria suas coleções de inverno. No ano passado ele colocou um iceberg gigante no centro da apresentação, lembrando os perigos do aquecimento global. Agora o estilista transformou o Grand Palais em um cenário apocalíptico, com direito a fumaça, carvão e pedras espalhadas como se um vulcão acabasse de entrar em erupção. Nos looks, o foco foi nas sobreposições. Os clássicos tailleurs apareceram sobre blazers. Calças jeans skinny de aparência desgastada foram usadas com conjuntos de casaco e minissaia. Outra calça que marcou a coleção foi um folgado modelo de alfaiataria, que veio ora com a barra displicentemente dobrada, ora com um comprimento que causava volume no tornozelo.
Os sapatos refletiram o clima pesado, atípico na Chanel, que pairou sobre o desfile: muitas botas masculinas e sapatos oxford apareceram ao lado de um clássico escarpim de salto médio. Uma série de macacões vieram em diversos materiais – tweed, matelassê e até renda – contando com grandes bolsos utilitários na altura das coxas. A sombria cartela de cores combinou com a atmosfera apocalíptica: preto, cinza, marinho e marfim com leves toques de vermelho e verde.